2 de março de 2011

O CARNAVAL DE SALVADOR

As malas estão prontas, tudo em ordem só falta chegar o momento da partida.

Quero está bem distante deste carnaval cansativo, privatizado e direcionado para estrangeiros e globais.

É assim o tão falado carnaval de Salvador, camarotes caríssimos, trios elétricos estilizados, para poucos de preferência brancos e endinheirados e vindo de fora, da terra não serva, só para puxar as cordas e ser mal pagos.

O povão se quiser participar fica na pipoca levando tapas e empurrões, às vezes até da polícia que é paga para proteger.

O maior carnaval do mundo, fala sério! O maior preconceito do mundo. (separação: ricos nos camarotes e pobres na pipoca).

No tempo de Dodô & Osmar era carnaval do povo como cantava Caetano Veloso, “Praça Castro Alves é do povo" Hoje tudo mudou, a estória é outra o que conta é os dólares e os euros.

Alguém pode questionar, eu não sou pobre e estou na pipoca? Uma raridade e está na pipoca por quê? Não teve grana para o camarote da Band com 20 ambientes e quase 10.000m² Com certeza não, porque se tivesse estaria lá e não na pipoca.

Por sinal o Camarote da BAND está lindo, com um visual de tirar o chapéu. Muito bonito com vermelho deslumbrante. Parabéns!

Não tenho nada contra a pipoca, você é livre e pula onde quer. O que estou falando é da discriminação social, não da sua preferência pela pipoca, não venha confundir a minha opinião e tumultuar o meu texto, tenho direito de expor os meus pensamentos carnavalescos.

Daqui a nove meses o juiz Salomão Resedá, vem para TV implorar para adotar os filhos do carnaval. Filhos do carnaval são as crianças que vão serem geradas durante o carnaval pelas as mães irresponsáveis que vão transar de qualquer jeito com qualquer um sem a menor segurança, ariscando a sua vida e daqueles que serão gerados que pode nascer com o vírus HIV ou outras doenças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário